O que são Varizes?

Varizes são veias dilatadas, alongadas e tortuosas que apresentam perda da função. As varizes podem ser primárias, de desenvolvimento expontâneo, ou secundárias, decorrentes de trombose ou malformação.

As varizes dos membros inferiores são muito variáveis em sua apresentação, podendo ser calibrosa ou de mais finas, conhecidas como telangectasias ou popularmente como vasinhos.

A dor relacionada as varizes pode apresentar-se como queimação, latejante ou tipo picada. Quando relacionada ao inchaço associa-se a sensação de peso. A dor é mais intensa no final do dia, após longos períodos sentados ou em pé e, nas mulheres, durante os períodos pré-menstrual e de gestação. Normalmente, a dor é aliviada pelo repouso com os membros elevados e por caminhadas.

Quadros mais graves e crônicos podem evoluir para a pigmentação da pele no terço inferior das pernas associado ao espessamento da pele e sensação de coceiras. Alguns paciente podem ainda apresentar feridas, denominadas, úlceras venosas, que representa o quadro final de descompensação do quadro de varizes.

img-doenca

Como ocorrem as Varizes?

O sistema venoso dos membros inferiores é responsável pelo retorno do sangue que irriga os pés, pernas e coxas de volta ao coração. As veias possuem válvulas, cuja função é permitir que o sangue apresente fluxo apenas no sentido do coração e não siga o sentido da gravidade, retornando para os pés.

Nos casos de disfunção das válvulas, ocorre o relfuxo do sangue no sentido da gravidade. O sangue fica retido nas veias das pernas, promovendo com o tempo sua dilatação e totuosidade, com aumento da pressão venosa nos membros inferiores.

Os fatores de risco para o desenvolvimento de varizes são a hereditariedade, o sexo feminino, a obesidade, a gestação, o sedentarismo e permanecer muito tempo em pé ou sentado.

Tratamento para Varizes

O método mais empregado para o tratamento das varizes dos membros inferiores é a retirada das veias dilatadas através de cirurgia. São realizadas múltiplas pequenas incisões através das quais as veias são retiradas. A circulação não é afetada pela retirada dessas veias, tanto pelo fato de estarem doentes como pelo fato de serem superficiais e não responderem pela drenagem principal do membro inferior. Em geral o tempo de hospitalização é curto, o procedimento cirúrgico não é prolongado e o paciente recupera-se em duas semanas.

Também podem ser empregados como métodos de tratamento: a radiofrequência, nesse método as veias são queimadas por meio do aumento de temperatura, através da inserção de uma agulha que a libera; o laser, método semelhante a radiofrequência utilizando-se fibra ótica; e a espuma esclerosante, pelo qual uma substância sob a forma de espuma é injetada nas veias, promovendo reação inflamatória que as ocluiu, apresenta como risco potencial a formação de manchas na pele, sendo empregada em casos de maior gravidade.

O tratamento clínico tem o objetivo de aliviar os sintomas das varizes e auxiliar na cicatrização de feridas. O uso de meias elásticas é um ponto muito importante, promovendo aumento da pressão na perna, levando a melhora da circulação venosa através da diminuição do refluxo e direcionando o fluxo venoso. Assim, obtêm-se melhora dos sintomas de inchaço, dor e desconforto nos membros inferiores.

A escleroterapia é o tratamento de escolha para as telangectasias, sendo empregado um agente químico que promove a oclusão dos vasos. Pode ser empregada de forma combinada ao tratamento cirúrgico com o intuito de otimizar o resultado.