Tratamentos

Varizes

O que são varizes?

Varizes são veias dilatadas, alongadas e tortuosas que não têm mais função. Elas podem ser categorizadas em primárias (com desenvolvimento espontâneo) ou secundárias (provocadas por trombose ou malformação vascular). Nos membros inferiores, as varizes podem ser finas (conhecidas como telangiectasias ou vasinhos) ou calibrosas.

Os sintomas mais comuns entre pacientes são queimação, peso, cansaço e inchaço nas pernas. A dor costuma ser mais intensa no fim do dia, após se passar muito tempo de pé ou sentado. Já as mulheres costumam sentir mais durante os períodos pré-menstrual e de gestação.

O escurecimento das pernas pode acontecer em quadros mais graves ou crônicos. Quando não tratadas da maneira apropriada, as varizes podem evoluir para trombose de veias superficiais e/ou profundas. As feridas, o nível mais avançado da doença, também podem surgir.

Como ocorrem as varizes?

O sistema venoso dos membros inferiores tem o papel de promover o retorno do sangue que irriga os pés, pernas e coxas de volta ao coração. Nas veias, há válvulas que direcionam o sangue no sentido do coração, evitando que ele siga o fluxo da gravidade e retorne aos pés.

As varizes surgem quando há disfunções nessas válvulas, pois o mecanismo fica desregulado, e o sangue é retido nas veias das pernas. Ao longo do tempo, isso gera a sua dilatação.

Hereditariedade, sexo feminino, obesidade, gestação e sedentarismo, além de permanecer longos períodos em pé ou sentado, são fatores de risco para as varizes.

Tratamentos para varizes

Não há fórmula pronta: os últimos tratamentos para varizes têm procurado observar as características individuais de cada paciente.

E, para alcançar melhores resultados, as terapias envolvem a associação de técnicas diversas.

Laser transdérmico

O laser transdérmico é a tecnologia mais moderna para o tratamento das pequenas varizes. Uma de suas principais vantagens é não oferecer risco de reação alérgica no paciente, por se tratar de um método físico.

A técnica de realidade aumentada (VeinViewer®) contribui para melhorar a precisão do método, identificando vasos ocultos nutridores e otimizando o resultado.

No entanto, o tratamento não é recomendado para quem está com a pele bronzeada. Além disso, ao longo das sessões, é preciso evitar contato direto com o sol.

O laser transdérmico pode ser associado a outras técnicas, como a escleroterapia líquida convencional, para tornar os resultados ainda melhores.

Entre os benefícios da crioescleroterapia estão a redução da dor e de manchas, além de ser mais potente contra os vasos.

Escleroterapia Líquida Convencional

A escleroterapia é uma técnica para o tratamento de pequenas varizes. Na prática, são aplicados líquidos esclerosantes no interior do vaso, promovendo sua eliminação e desaparecimento, ao longo dos dias.

O tratamento não é recomendado para peles bronzeadas e os pacientes precisam evitar exposição solar ao longo das sessões. Quando realizado com o medicamento resfriado, a temperaturas muito baixas, é chamado de crioescleroterapia.

ESCLEROTERAPIA POR ESPUMA

A técnica de escleroterapia por espuma consiste na utilização de líquido esclerosante sob a forma de espuma densa, para tratar varizes dos membros inferiores.

Um dos benefícios dessa técnica é poder tratar vasos de diâmetros maiores, sem precisar recorrer à técnica cirúrgica. Além disso, e escleroterapia não demanda internação hospitalar ou anestesia.

Como é um método pouco invasivo para o tratamento de varizes, não requer repouso ou afastamento prolongado do trabalho.

CIRURGIA

A cirurgia para varizes é recomendada para retirar veias de pequeno e largo calibre. Durante o procedimento, são feitas pequenas incisões para remover as veias doentes.

Isso não gera qualquer impacto sobre a circulação, até porque as veias são superficiais e não respondem pela drenagem principal do membro inferior.

O período de hospitalização costuma ser breve. Em muitos casos, o paciente pode retornar para casa no próprio dia da cirurgia, ficando em repouso por até 7 dias.

A realização de exercícios físicos, porém, precisa esperar por cerca de um mês, sendo retomada após aval do cirurgião vascular.

Open chat
Em que podemos ajudar?